Existência e inexistência de cercamento, segurança e acessibilidade de parques urbanos

  • Arq. Débora Gregoletto PROPUR. Faculdade de Arquitetura.Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Arq. Thaís Caetano Bochi PROPUR. Faculdade de Arquitetura.Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Bacharel en Turismo Fernanda Costa da Silva PROPUR. Faculdade de Arquitetura.Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Dr. Arq. Antônio Tarcísio Reis PROPUR. Faculdade de Arquitetura.Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Palabras clave: uso; apropriação; patrimônio público; percepção; avaliação
  • Ingresos a esta página - 262 veces.
  • Galeras de Resumen descargadas - 142 veces.
  • Galeras de Texto Completo descargadas - 304 veces.

Resumen

Este trabalho tem como objetivo avaliar a influência da presença ou ausência de cercamento de parques públicos urbanos na percepção dos usuários em relação a segurança dos usuários (do interior e exterior dos parques) e do patrimônio público, bem como na acessibilidade desses espaços e os efeitos causados por este no uso e apropriação dos espaços internos dos parques. Para tanto, foram avaliados dois parques de Porto Alegre-RS, quais sejam o Parque Farroupilha e o Parque Germânia. Os principais resultados evidenciam que a percepção de segurança não é influenciada pela falta de cercamento em parques abertos, ao contrário do que ocorre em parques fechados. Os usuários de parques fechados associam a presença de cercamento na preservação do patrimônio público, sendo que em parques abertos essa avaliação varia em relação ao tipo de usuário. Além disso, os tipos de atividades realizadas pelos usuários de parques abertos, assim como a proximidade da residência, tanto em parques fechados como em abertos, são fatores que influenciam na avaliação de acessibilidade de parques urbanos.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.
Publicado
2013-12-16
Cómo citar
Gregoletto, A. D., Caetano Bochi, A. T., Costa da Silva, B. en T. F., & Reis, D. A. A. T. (2013). Existência e inexistência de cercamento, segurança e acessibilidade de parques urbanos. ARQUISUR Revista, 3(3), 128-141. https://doi.org/10.14409/ar.v1i3.945
Sección
Artículos